Transição: Do Vinho Suave para o Vinho Seco


5 Motivos para fazer a migração:


1) Vinho seco é BEM mais saudável;

2) Vinho suave tem MUITO açúcar;

3) Vinho seco permite harmonização, o suave não;

4) Há boas opções para fazer a transição;

5) O Embaixador pode te conduzir nessa transição.


1 - Vinho seco é bem mais saudável:


O vinho possui compostos que ajudam a melhorar a nossa saúde, inclusive com propriedades anti-inflamatórias, e muito disso também está ligado aos taninos, composto mais presente nos vinhos secos.


Mas outro fator é que o vinho seco não tem tanto açúcar como o vinho suave, o que os leva ao motivo nº 2:


2 - Vinho suave tem MUITO açúcar:


No Brasil há uma legislação que classifica os vinhos em Seco, Meio-Seco (Demi-sec) e Suave.

Até 4 gramas de açúcar por litro, o vinho é seco;

De 4,1 gramas por litro à 25 grs/L, o vinho é meio seco;

Acima de 25 grs/L, o vinho é suave, e não há um limite de açúcar aqui.


Cabem duas observações:

2.1) Na Europa a classificação dos vinhos é diferente, e vinhos secos, principalmente de Portugal, Itália e Espanha, chegando ao Brasil são "re-classificados" como Meio-Secos.

2.2) Os vinhos suaves no Brasil, que são conhecidos como Vinhos de Mesa, que geralmente se compra nos supermercados, antigamente até em garrafão de 5 litros, como por exemplo, Canção, Sangue de Boi, Chapinha, Pérgola, Cantina da Serra, geralmente há adição de açúcar (da cana de açúcar mesmo ou xarope), que corresponde há uma quantidade de açúcar por litro de 80 a 100 gramas.


Essa quantidade, praticamente equivale à quantidade presente nos refrigerantes e sucos de caixinha.


Então quando você consome um vinho suave, você não está consumindo um vinho ideal para a sua saúde.


Em razão desse açúcar, o vinho suave se assemelha à um suco de uva com álcool ou um picolé de uva derretido com álcool.


O vinho seco, por sua vez, usa apenas o açúcar da fruta natural, restando baixo açúcar residual no vinho, após a maioria ter se transformado em álcool.


3) Vinho seco permite harmonização, o suave não;


Pela quantidade de açúcar, o sabor do vinho suave é mascarado pelo seu dulçor exagerado, e isso tira dele qualquer possibilidade de harmonização.


((dizem que o Cantina da Serra harmoniza bem com Fandangos, mas não vou entrar em polêmicas kkk))


Já o vinho seco consegue apresentar diferentes aromas e outro fatores que permitem harmonizar, e a sensação na boca é fantástica. Esse é um dos maiores motivos, depois da saúde.


4) Há boas opções para fazer a transição


Existem vários vinhos que serão melhores aceitos pelo seu paladar, que não está acostumado com vinhos secos.


Brancos e rosés, que não possuem taninos, que é o principal agente que "seca" a boca.


Vinhos Meio-secos, Portugueses de origem Vinho Verde, alguns italianos, vinhos secos leves como da uva, Pinot Noir, e outros de uvas mais doces como a moscatel são boas opções para começar.


Existem também vinhos doces, que são secos, mas menos açucarados que os suaves "vinhos de mesa". Como por exemplo, os de colheita tardia ou que o produtor escolheu interromper o processo de fermentação do vinho.


5) O Embaixador pode te conduzir e te ajudar a escolher os melhores vinhos para o seu paladar, e fazer essa transição e eu te garanto que você não conseguirá voltar para os vinhos suaves.

274 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo